Bradesco ocupa 4º lugar e leva Destaque Sustentabilidade

Liquidez e baixa volatilidade foram pontos fortes do banco, que inovou na área ambiental

O Bradesco, então o maior banco privado do País, ocupou a quarta posição no ranking geral da Agência Estado Empresas de 2007 e foi o vencedor do prêmio de Sustentabilidade. Liquidez e baixa volatilidade foram os critérios em que o banco apresentou melhor colocação.

O então presidente da instituição, Márcio Cypriano, destacou que o Bradesco apresentava a maior liquidez entre os bancos da América Latina e a terceira maior na comparação entre as empresas negociadas em Bolsa. Essa característica assegurou recuperação rápida das cotações dos papéis em momentos de crise.

Conforme observou Cypriano na época, boa parte dos títulos do banco estava em poder de investidores estrangeiros, os primeiros a vender papéis de empresas brasileiras em meio às turbulências no cenário externo.

Tamanha liquidez vinha sendo garantida por sucessivos lucros recordes - R$ 8,010 bilhões em 2007, com expansão de 58,5% sobre o ano anterior - e a distribuição do resultado entre os acionistas. No primeiro trimestre de 2008, com lucro de R$ 2,102 bilhões, o Bradesco já colhia o melhor resultado entre os bancos privados em 20 anos. O segredo, segundo Cypriano, foi a combinação entre escala, capacidade de abertura de contas e o que classificou na época como equipe valorosa.

Sustentabilidade

Em 2007, o Bradesco uniu todas as atividades sociais e ambientais no Banco do Planeta. No primeiro momento, a proposta surpreendeu o presidente da instituição. "Quando me trouxeram a campanha, achei pretensiosa, não queria que soasse como puro marketing", disse Márcio Cypriano, então presidente do banco, durante a entrega do prêmio Destaque Sustentabilidade em 2008. "Mas, depois, enumerando tudo que o banco já tinha realizado, percebemos que se tratava da consolidação de décadas voltadas a essas questões", afirmou.

O Banco do Planeta reúne a cinqüentenária Fundação Bradesco; parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica; programas de neutralização de carbono; e uma série de produtos, serviços e ações socioambientais. A instituição ganhou o prêmio por ser a empresa listada no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) que maior retorno proporcionou aos investidores. 

No projeto Fundação Amazonas Sustentável, em parceria com o governo do Estado do Amazonas, o Bradesco foi o primeiro cotista, com um aporte de R$ 20 milhões, e se comprometeu a repassar mais R$ 50 milhões, sendo R$ 10 milhões por ano.

O banco ainda é signatário dos Princípios do Equador, o que significa a utilização de análise socioambiental na concessão de crédito. Suas práticas sustentáveis constavam de relatório de 2007 da International Finance Corporation (IFC), braço do Banco Mundial. O documento chamou atenção para o fato de as instituições ganharem vantagens competitivas com o desenvolvimento de produtos e gerenciamento de riscos orientados pelo tema.

As ações do Bradesco integram o Ibovespa, o Índice de Governança Corporativa (IGC), o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE), e o índice Dow Jones de Sustentabilidade, em Nova York.



Resumo de reportagem publicada, na ocasião da entrega do prêmio ranking Destaque Empresas de 2008. O texto original foi divulgado pelo serviço AE Empresas e Setores, conteúdo noticioso e analítico voltado ao mercado corporativo. Para melhor contextualizar as informações, a edição alterou os tempos verbais e atualizou o texto pelo novo acordo ortográfico.

 

 

Copyright © 2009 . Agência Estado, uma empresa do Grupo Estado. Todos os direitos reservados.